Nov 26, 2007

rosarinho e os gatos



ou Nico e Karlon e a bébé.

os meus gatos são muito meiguinhos.

o Nico (ou Vasquinho ou Titu ou Louro José) é atrevido, o Karlon (ou Carlitos ou Jaló ou Gordinho) é o pacholas.

quando decidimos engravidar fiz todos os testes para saber se estava tudo bem.

com a pontaria que tenho o teste da toxoplasmose revelou o pior, eu não era imune, isto é, eu nunca tive toxoplasmose, portanto não estava livre de a ter durante a gravidez.

os meus gatos vivem comigo há quase 5 anos.

o Nico veio para minha casa bébé, o Karlon veio da rua, mais crescido, muito mal tratado, quem o salvou foi a minha mãe.

quando casei vieram comigo, quando arranjei o primeiro emprego "desejaram-me" boa sorte na manhã do primeiro dia, quando o G. foi trabalhar para o porto durante um ano (o nosso primeiro ano de casados) fomos a companhia uns dos outros todos os dias, quando estou triste sentam-se ao pé de mim quietinhos, quando estou a dormir aproveitam para se aninharem junto a mim.

brincamos os três a muitas brincadeiras.

então não ía ser a sombra da toxoplasmose que nos iria alterar o dia a dia.

durante a gravidez mantive-me afastada da caixinha da areia (iupiiii) e tentei, porque não resultou, que eles não dormissem comigo e o G na cama (!!!).

e como eles não vão à rua, nem comem carne crua, não me preocupei assim tanto e esperei sempre o melhor.

depois o problema era saber como iriam receber a R.

houve quem me perguntasse o que iria ser deles (????) depois de nascer a R.

a nossa casa é um T2 pequenino e íamos ficar apertados os cinco (temos a casa à venda, muito antes de pensarmos em engravidar... enfim)

da maternidade o G. trouxe-lhes uma fralda de pano com a qual a R. dormiu para que eles cheirassem e não a estranhassem quando chegasse a casa.

no dia em que chegámos ficaram muito espantados, a andar pata ante pata, a olhar, por momentos tive receio que não gostassem uns dos outros.

mas não, os meus "mais velhos" (piadinha cá de casa) portaram-se à altura.

de não lhe ligarem nenhuma até a começarem a cheirar ainda passaram umas semanas, mas agora estão a entrar na rotina.

deixo a R. na sua espreguiçadeira sozinha com eles numa sala e confio (98%, porque não deixam de ser animais).

a única preocupação é no nosso quarto, agora já não entram, e tem sido uma fita à noite com eles a chorarem à porta, mas tenho receio que se metam com ela no berço (como o Karlon é um mimado, mal se dá uma festa tem tendência para desmaiar, cai de amor, e eu tenho receio que ele caia de amor em cima da R.***)

adoro-os, e sei que quando a R. interagir mais com eles a vão adorar.

por agora olham uns para os outros, assim a conhecerem-se.


4 comments:

oxhill said...

adorei este post:) acho mágicos estes encontros entre crianças e animais!

P.S. Parece o meu Félix que está aí deitado no sofá :)

M&M said...

lindos os teus gatos!
Tive duas! A Sushi e a Zara... Agora estão numa quinta em plena Serra da Estrela! Aos cuidados dos Bisavós paternos da Eva! Opção tomada há cerca de dois anos... Tenho saudades, mas visito-as com regularidade!

bjs***

Butterflyfairy said...

Também adoro a minha wengué e o meu inox. Estão os dois pelados de ciumes (só querem mimos)...mas sei que vão adorar brincar com a Madá :)

Carla.C said...

Obrigada pelo testemunho tão bonito*
É tempo de alguém desmistificar o papão da toxoplasmose!
parabéns pela lindíssima princesa:)

 
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.